Blog da Dedeka

Voltar
14/05/2019

A escolha do esporte ideal para cada criança

A escolha do esporte ideal para cada criança

Como a gente sabe, a prática da atividade física é essencial para o desenvolvimento das crianças, além de ser uma ótima maneira de estimular um comportamento saudável e fazer elas gastarem a energia que tanto têm! Quanto mais cedo o esporte for inserido na rotina dos pequenos, mais fácil será a aceitação da criança.

A escolha por um esporte é uma tarefa que deve ser feita em conjunto entre pais e filhos, sendo imprescindível respeitar o gosto e o interesse dos pequenos. Deve ser uma atividade prazerosa para a criança e não deve ser imposto como uma obrigação ou vir acompanhado de cobrança por resultados.

Também vale lembrar que, quanto menor for o pequeno, maior será a probabilidade de ele mudar o tempo todo de esporte preferido. E isso não é nenhum problema, porque a experimentação é um processo muito proveitoso para a criançada descobrir o que realmente gosta. Outra coisa muito legal, é que cada vez menos se escolhe o tipo de prática esportiva pelo sexo da criança e que tanto os meninos como as meninas já compartilham de todas as modalidades.
Mas afinal, existe um esporte que seja mais adequado para cada criança?

A resposta é SIM! Existem esportes que são mais adequados para cada idade, assim como para cada personalidade e para cada necessidade ou limitação que a criança apresente. Vamos conferir algumas sugestões?

- Até os 3 anos: a criança não está pronta para fazer esportes, o que ela deve fazer é atividade física. Aqui valem as brincadeiras e até mesmo a natação e a ioga (nesses casos, acompanhada ou supervisionada).
- 3 a 5 anos: nessa faixa, um dos melhores esportes é a natação, através do qual a criança poderá trabalhar a coordenação, a resistência, a disciplina e a relação entre o esforço e o resultado.
- 5 a 7 anos: nessa fase é importante que a criança realize vários e diferentes esportes (a experimentação que falamos, lembra?). O ideal seria praticar um esporte individual e outro coletivo. Para o individual temos a natação, a ginástica ou as artes marciais (Tae-Kwon-Do, Caratê, Judô). No coletivo, vale o futebol, basquete, handebol, vôlei e outros.
- 8 e 9 anos: essa é uma fase na qual fica mais fácil traçar o perfil da criança e identificar suas habilidades. Por exemplo, crianças coordenadas tem nos esportes coletivos uma boa opção. Crianças inquietas ou nervosas, com falta de concentração, podem optar pelo atletismo ou a natação. Crianças perfeccionistas e com autocontrole se dão bem em esportes individuais como a ginástica, o tênis ou as artes marciais (essa última, uma forte aliada das crianças com comportamento mais agressivo). Crianças distraídas podem fazer esportes que exijam mais concentração, como judô e natação. E as crianças que gostam de música tem na dança e na capoeira uma boa escolha.

Seja qual for a escolha para cada etapa, o que permanece inalterado é o auxílio dos esportes no desenvolvimento das habilidades interpessoais da criança (como determinação, autoconfiança, cooperação e comprometimento) e no fortalecimento da sua autoestima e de sua consciência corporal.

Compartilhe nas Redes: