Blog da Dedeka

Voltar
13/06/2019

Musicalização Infantil

Hoje vamos falar um pouquinho sobre a música enquanto ferramenta para o desenvolvimento dos pequenos, trazendo inclusive a participação da Cláudia Ramos, maestrina e uma das coordenadoras no Projeto Orquestrando a Inclusão, na Associação Criança Feliz de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, contemplado pelo Criança Esperança 2019. Junto à Cláudia, também coordena o projeto Camila Demoliner Henz, Gerente de Serviços Sociais da ACF.

A ACF é uma organização comunitária com mais de vinte anos de história no atendimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e suas respectivas famílias, residentes da Região Norte da cidade. A Dedeka tem um carinho todo especial por essa associação e desde 2010, através do seu projeto social Moronomundo, traz em cada coleção produtos identificados por uma tag diferenciada, em que parte do valor de venda é revertido à entidade. A oficina de musicalização infantil faz parte da grade de atividades semanais dos grupos atendidos.

Muito além do ensino indispensável de base, da lógica e do senso-comum, a educação infantil se dá também a partir da compreensão daquilo que é sentido por cada criança. Nesse contexto, as artes, como a música, a pintura, a literatura e o teatro, contribuem no próprio desenvolvimento da personalidade de cada um. A música tem papel importante na inclusão social entre as pessoas, e muito além de uma arte ela é também educação. A musicalização infantil é trabalhada dentro da ACF pela Cláudia e também pelo professor Eduardo Arruda.


Toda criança já nasce gostando de música

Aula de musicalização na ACF - Crédito: Ana Romani

A musicalização infantil é algo lúdico, que serve para despertar e para desenvolver a musicalidade já presente na criança.

- O objetivo não é que a criança se torne necessariamente um futuro musicista, e sim, favorecer o desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade, do senso rítmico e do prazer de ouvir música. Desperta também a imaginação, aguça a memória e a concentração, além de favorecer a socialização e o entendimento de respeito ao próximo. E não menos importante, auxilia na coordenação motora, na fala e na dicção, afirma Cláudia.

Esse processo até pode ser feito individualmente, mas o ideal é que seja feita em grupo, visando a interação e socialização. E deve acontecer na primeira infância, pela própria característica da ludicidade intrínseca no processo. Inclusive, a criança já pode começar a ser musicalizada dentro da barriga da mãe.

E pode ser realizada de inúmeras formas: através de brincadeiras, como as de roda, de bandinha rítmica com brinquedos de percussão, contação de histórias (que são posteriormente trabalhadas através dos instrumentos) e da construção de instrumentos musicais, contribuindo com o aprimoramento da coordenação motora fina (através da pintura, recorte e colagem dos mesmos). Essas atividades visam à sensibilização da criança quanto aos sons que estão à sua volta, fazendo com que ocorra uma apreciação afetiva e também criativa deles.


Aula de musicalização na ACF - Crédito: Ana Romani

Talvez um dos mais importantes benefícios da musicalização seja justamente o da socialização, uma vez que tende a integrar a criança. Pense bem: ela passa a compreender que a cooperação com os outros é necessária, já que é através do esforço conjunto que surgirá a possibilidade de atingir os objetivos propostos pelo grupo. Assim, a criança passa a ter que respeitar o tempo e a vontade do outro. É também uma oportunidade de realizar críticas de forma construtiva e perceber o valor da disciplina, potencializando a capacidade de ouvir e interagir.

A música é um instrumento de transformação e a musicalização é um excelente caminho na formação de crianças mais sensibilizadas não só ao mundo que as rodeia, mas aos seus próprios sentimentos e percepções. Não seria incrível que todas tivessem esse acesso e essa oportunidade?

Um agradecimento especial pela colaboração da Associação Criança Feliz, da Cláudia Ramos e do Eduardo Arruda.

 

Para saber mais:

Associação Criança Feliz:http://www.acriancafeliz.org.br/

Cláudia Ramos
Pedagoga, pós-graduada em Educação Musical, é proprietária do Clave Conservatório Musical e atualmente trabalha na Associação Criança Feliz, como maestrina e uma das supervisoras do Projeto Criança Esperança, com as oficinas de Canto Coral e Flauta Doce, e também na Escola Adventista de Caxias do Sul.

Eduardo Arruda
Graduado em Licenciatura em Música, é professor de Percussão e Musicalização Infantil na Associação Criança Feliz.

Compartilhe nas Redes: