Blog da Dedeka

Voltar
19/06/2020

O frio e suas curiosidades

O frio e suas curiosidades

Amado por uns, detestado por outros, o frio tem a capacidade de interferir nas nossas rotinas, na nossa saúde, no crescimento das plantas, na conservação de alimentos e numa infinidade de outras coisas. Aproveita e vem com a gente conhecer um pouco mais sobre essa condição e as maravilhas que o frio nos traz! Mas um alerta: antes de seguir adiante, é importante não defini-lo apenas como um evento climático. Expanda sua percepção e libere seus sentidos!
 

A neve
A neve é um fenômeno meteorológico que se forma a partir do vapor de água que, em grandes altitudes, passa para o estado sólido, transformando-se em cristais de gelo. Os cristais de gelo se juntam ao redor de um grão de pó, formando um floco de neve! Ela é vista com recorrência nos Polos Norte e Sul, acumuladas em picos de montanhas bem altas e durante os meses de inverno de algumas regiões. E engana-se quem acha que a neve é branca – isso é apenas a luz refletida nos seus flocos transparentes.


Você sabia que a neve não é branca? - Créditos: Julio Soares / Objetiva Fotografias


Lagos e oceanos congelados
A gente já sabe: a temperatura que a água doce congela é zero grau. Nas regiões de temperaturas baixas, alguns lagos congelam na superfície, mas na parte que fica submersa não. Isso acontece porque o gelo acaba formando uma camada de proteção térmica, impedindo que a água congele por inteiro. Já na água salgada, o congelamento acontece com temperaturas mais baixas. Por isso que em lugares como o Polo Norte e o Sul apenas parte dos oceanos apresentam finas camadas de gelo.
 

Animais que amam o frio
Urso polar, raposa ártica, foca, lebre e lobo do ártico, baleia da Groelândia, pinguim, morsa, rena e coruja das neves: estes são alguns dos muitos animais que sobrevivem em temperaturas extremas. Seus organismos são capazes de se adaptar as muitas ameaças que o frio impõe e seus corpos contam com pelos ou ainda uma quantidade grande de gordura acumulada que respondem bem ao ambiente congelante!


Urso polar é um dos animais mais conhecidos quando falamos de frio.


As plantas e o clima gelado
Diante do frio, as plantas adaptam suas estruturas e inclusive se comportam de forma diferente. As menores, que se desenvolvem de modo rasteiro, são as que suportam melhor o clima gelado. Elas são menos afetadas pelos ventos e até se cobrem com pequenos “pelos” para reter melhor o calor e a umidade. Às vezes escurecem suas folhas, concentrando o calor do sol e outras hibernam fazendo um descanso vegetativo. Isso explica por que as plantas nativas nas regiões distantes dos trópicos vivem muito, com espécies que sobrevivem de 40 até 200 anos.


Algumas plantas podem escurecer no frio para concentrar o calor do sol.


Temperaturas negativas
Se você acha que já viu ou sentiu frio suficiente, que tal um termômetro apontando para 89,2ºC negativos? Pois essa foi a menor temperatura já registrada na estação de pesquisa na Antártida, no início da década de 80. Mas aí vem a pergunta: o ser humano consegue suportar temperaturas como esta? A gente responde: a capacidade de aguentar baixas temperaturas varia de organismo para organismo, da quantidade e qualidade de agasalhos, assim como do condicionamento do corpo diante desse extremo. Pesquisas apontam que quando o índice de resfriamento do vento – que é a sensação do frio conforme sentida diretamente na pele – marca 27°C negativos, é preciso redobrar os cuidados para que os tecidos não congelem. Cristais de gelo se formam nas células epiteliais e causam danos que podem chegar a matá-las.


A Noite Polar
O fenômeno da noite polar ocorre durante o inverno no extremo norte do Círculo Ártico e ao sul do Círculo Antártico. Nesse período, devido à posição da Terra, o sol permanece abaixo do horizonte durante todo o dia. Enquanto os dias e noites extremos no Hemisfério Sul somente podem ser vistos na solitária Antártida, os do Ártico podem ser vivenciados em países como Islândia, Suécia, Rússia, Finlândia e Canadá. E acredite, alguns desses países chegam a ficar por 60 dias na escuridão, já que o pôr do sol não acontece. Já nos polos extremos, o sol pode ser ininterruptamente visível pelo período de até seis meses.


Alguns locais podem ficar até 60 dias na escuridão.

Reações do corpo ao frio
Para superar o frio, o corpo ativa alguns mecanismos que geram calor, através da resposta que as células da pele enviam pelo sistema nervoso. O simples fato de tremer (o corpo e os dentes),que parece uma reação involuntária comum para o frio, é uma forma de ativar a circulação para aumentar a produção de calor. As extremidades do corpo tendem a ficar mais geladas porque passam a receber menos circulação sanguínea, que são concetradas para aquecer as áreas vitais. Os pelos arrepiados formam uma camada de ar perto da pele, preservando o calor e criando uma espécie de barreira ao frio.

 

Aurora Boreal
Embora o fenômeno da Aurora Boreal não seja exclusivo ao inverno, é nas noites mais frias que ele tem maior possibilidade de acontecer. É nas regiões polares que a Aurora Boreal encontra o lugar ideal para apresentar seu espetáculo: temperaturas abaixo de zero e um céu limpo e bem escuro para colorir!


Se você chegou até aqui feliz por ter descoberto tantas curiosidades e sorrindo com os fenômenos que o frio proporciona, é porque percebeu o quanto nosso corpo é sábio e que, mesmo nas temperaturas mais extremas, é possível se encantar com a natureza e fazer valer cada grau negativo pra aproveitar tudo isso! ❤
 

Que tal conhecer a coleção Outono-Inverno 2020 Dedeka?
Compartilhe nas Redes: